fbpx
+55 31 3218 5000    Área de Cliente

Rachaduras nas paredes: saiba quando você deve se preocupar!

Rachaduras nas paredes: saiba quando você deve se preocupar!

Se você tem rachaduras em seu condomínio, saiba que isso é algo que merece atenção. Às vezes, a falha pode ser muito mais séria e gerar problemas mais graves, de forma que se engana quem pensa que as rachaduras são apenas problemas estéticos.

Por isso, alguns cuidados são importantes, principalmente quanto à manutenção. Além disso, claro, é preciso saber diferenciar os tipos de rachaduras, pois, dessa forma, você saberá o que fazer quando se deparar com uma situação dessas.

Leia este conteúdo até o final para saber mais sobre rachaduras nas paredes e quando se preocupar com isso. Boa leitura!

Quais problemas podem acarretar uma rachadura na parede?

Como dissemos, as rachaduras nas paredes nem sempre são questões meramente estéticas. Elas podem ter a ver com a estrutura da casa ou do apartamento. Ou seja, elas podem afetar os pilares, vigas e lajes da construção. Por isso, o ideal é identificar o que pode resultar essas rupturas. Veja abaixo as possíveis causas:

  • infiltração: a má impermeabilização pode absorver a água da chuva e, consequentemente, provocar rachaduras;
  • sobrecarga: acontece com a construção de outro andar ou pavimento, principalmente em residências que não têm estrutura para suportar isso;
  • dilatação térmica: ocorre quando a ligação de materiais não foi bem executada (tijolo com madeira, por exemplo), ou quando os materiais têm dilatações térmicas diferentes. Em áreas que recebem muito sol, também estão suscetíveis;
  • fundação executada inadequadamente: esse tipo de rachadura é um dos mais perigosos, pois envolve a base da residência ou edifício, que pode afundar no solo. Janelas e portas mal colocadas e rachadura entre o piso e a parede são sinais disso.

São muitos detalhes que podem acarretar rachaduras, por isso, sempre atente a esses detalhes. Outra dica é uma vistoria de um técnico, engenheiro, que pode ajudar você na prevenção.

O que fazer para restaurar uma parede danificada?

Restaurar uma parede danificada vai depender do nível da rachadura, isto é, o quão sério é o problema a ser resolvido. Você deve analisar se há movimentação da estrutura ou não, ou seja, se ela é estática ou dinâmica. Em caso de rachaduras dinâmicas, o ideal é contratar um profissional da área.

Se o problema estiver relacionado a falhas da construção, é possível seguir o seguinte passo a passo:

  • abrir a fenda: nesse procedimento, você deve abrir a rachadura em formato V;
  • usar vedante acrílico: após abrir a fenda, preencha esse espaço com o vedante;
  • usar tela de poliéster: a tela é indicada para rachaduras que tenham uma espessura maior;
  • fazer o reboco e aplicar massa corrida: por fim, você deve fechar o vão com reboco e finalizar com massa corrida.

Esse passo a passo é o básico para solucionar rachaduras mais simples, e geralmente o problema é resolvido. Entretanto, se a origem delas for a infiltração, é necessário retirar todo o tipo de vazamento, por meio do processo de impermeabilização. Somente após isso haverá a possibilidade de resolver a estrutura.

Para evitar que o problema chegue a esse nível, o ideal é fazer a manutenção regular do condomínio, sempre monitorando para resolver qualquer problema desde o início, além de ser uma boa prática de gestão.

Quais as diferenças entre rachadura, trinca e fissura?

No decorrer do artigo, falamos muito o termo “rachadura”, entretanto, saiba que existem 3 tipos e todas são completamente diferentes. Popularmente damos o mesmo nome, mas estamos aqui para explicar as diferenças:

  • fissuras: são superficiais, alongadas e estreitas. Não oferecem risco para a estrutura e são consideradas uma das primeiras fases da rachadura;
  • rachaduras: diferentemente das fissuras, são profundas e grandes. Tome cuidado, pois eventos externos como água, ar e luz podem contribuir para o agravamento desta situação;
  • trincas: as trincas podem ser bem perigosas, uma vez que podem danificar as estruturas, causando seu rompimento. Elas são mais profundas que as rachaduras, de espessura entre 1 e 3 mm.

As fissuras são evitáveis ou podem ser resolvidas rapidamente, se descobertas no início, por isso a importância da manutenção. Ainda assim, identificar as rachaduras nas paredes e saber quando se preocupar são pontos indispensáveis para a conservação do condomínio.

Aproveite e leia este conteúdo sobre manutenções preventivas e entenda como fazê-las corretamente no condomínio.

Deixe uma resposta

Fechar Menu