fbpx
+55 31 3218 5000    Área de Cliente

4 dicas eficazes para reduzir custos do condomínio

4 dicas eficazes para reduzir custos do condomínio

Reduzir custos do condomínio demanda uma boa gestão financeira, que envolve uma série de variáveis. Por isso, é importante conhecê-las a fundo e ter o apoio de especialistas na área contábil para identificar e minimizar riscos de problemas, evitar eventuais desperdícios e conseguir um melhor custo-benefício nas ações internas do empreendimento.

Quer saber mais sobre como reduzir custos do condomínio onde você atua como síndico? Continue lendo e confira as dicas práticas que preparamos.

1. Combata a inadimplência

Ter um número alto de moradores com condomínio atrasado é um problema grave, uma vez que diminui o valor esperado em caixa e, assim, pode complicar as finanças do empreendimento a longo prazo.

Muitas vezes, devido aos prejuízos causados pela inadimplência, o fundo de reserva se torna uma solução. No entanto, para usá-lo, o síndico deve convocar uma assembleia extraordinária para tratar do assunto.

É importante ter uma forma de realizar a cobrança para que não gere constrangimento aos condôminos e, ao mesmo tempo, consiga reverter o quadro. Acordos também são bem-vindos para esse tipo de situação.

2. Faça uma gestão eficiente de recursos humanos

Um dos pontos que tendem a causar gastos desnecessários para os condomínios é o desperdício com recursos humanos. Isso porque, muitas vezes, os responsáveis fazem contratações que podem ser mais custosas.

3. Adote medidas para poupar energia elétrica

Outro fator que provoca um aumento de custos no condomínio é o gasto excessivo de energia elétrica nas áreas comuns. Muitos elementos podem contribuir com isso, tais como:

  • iluminação de corredores e halls;
  • iluminação e funcionamento de áreas comuns (por exemplo, geladeira, freezer, equipamentos de som presentes em salão de festa, churrasqueira, entre outros);
  • uso de elevadores;
  • equipamentos de segurança.

Portanto, você pode adotar algumas medidas para minimizar esses impactos:

  • contar com outras fontes de energia, como placas fotovoltaicas, o que também ajuda a tornar o condomínio mais sustentável;
  • utilizar sensores de presença para não precisar deixar luzes de corredor acesas constantemente;
  • trocar as lâmpadas por modelos que tenham menor consumo energético, como as de LED.

4. Elabore uma previsão orçamentária consistente

Outro erro comum de quem administra condomínios é não contar com uma previsão orçamentária consistente. Afinal, é preciso planejar eventuais necessidades a longo prazo que são comuns nesse tipo de ambiente.

Por exemplo, sabemos que há uma necessidade recorrente de programar a pintura das fachadas e das áreas comuns e, por isso, é importante considerar esse gasto futuro. Com o valor em caixa, torna-se possível negociar mais facilmente melhores condições e conseguir bons descontos com os prestadores de serviços.

Saber como reduzir custos do condomínio é importante para otimizar os recursos disponíveis e direcioná-los para ações que beneficiem a todos. E, como falamos no começo do texto, é válido ter uma ajuda contábil para manter esse controle. Nesse sentido, contratar uma administradora condominial pode ser uma boa opção.

Quer mais dicas interessantes? Assine nossa newsletter e receba conteúdos exclusivos que auxiliam na gestão de condomínios!

Deixe uma resposta

Fechar Menu